domingo, 8 de fevereiro de 2009

Se Monsanto é um templo… SINTRA é, a Catedral!

O post desta: Minha volta neste domingo reza o seguinte:
Eu e o Zé tínhamos combinado andar por Sintra este domingo. Já não ia-mos para tal sítio há muito tempo (há mais de um ano, acho). O tempo estava convidativo. A vontade era muita. E, até tínhamos a companhia do Domingos, que pela falta (a vermelho. LOL) de ontem, deve ter ficado com uma vontade tremenda de “treinar”. Sim, porque o “menino” e o seu comparsa Filipe vão à Maratona de Portalegre. Treinem, treinem que bem podem.LOL. – Vá, força! -Divirtam-se!
Estavam portanto reunidas as condições mais do que essenciais para a voltinha.
9.00 H, Rotunda de Sintra. – Domingos! – Vem atrás de nós.
Estacionámos o carro no nosso spot habitual, na estrada da Lagoa azul, umas centenas de metros à frente da confusão.
O objectivo era o de sempre, usufruir das magnificas condições da área e divertirmo-nos fazendo exercício.
Como levávamos o GPS carregado, estávamos em condições de poder mostrar uma parte da autêntica panóplia de track´s ao debutante Domingos.
Iniciámos a ascensão até ao entroncamento da estrada capuchos/Sintra como acabamos quase sempre por fazer, e derivámos pelos single track’s do lado Dto. Cruzámo-nos com um pelotão de polícias em treino “militar”. – Livra! … E seguimos. – É por aqui! – Não é este trilho! – Acho que é por aqui! Tudo dúvidas causadas pelas nossas lembranças, que entretanto foram diluídas pelo tempo e, não só mas também, pelo enorme desbaste de arvoredo que surpreendentemente avistámos.
Com ou sem hesitações, lá fomos fazendo o nosso papel de cicerones para com o nosso amigo. – Isto é um espectáculo! Dizia encantado. Revíamos nele as sensações que outrora tinham sido as nossas, ao pisarmos tais pistas pela primeira vez.
- Capuchos, Penha longa, …o habitual. Grandes subidas, trilhos de downhill (ainda e sempre, bastante perigosos) e, com surpresa minha, pouca lama. A explicação do Zé, aliás bastante plausível, é que, como os solos são maioritariamente rochosos, a água não acumula, escorre.
Por alguma razão o escritor romântico, Lord Biron, se apaixonou por Sintra (Cintra, no sec XIX). Por alguma razão os mouros escolheram aquele penhasco rochoso para aí edificar uma fortificação que protegesse a sua as-Shantara (Sintra). Por alguma razão D. Fernando com auxílio de alguns românticos alemães, projectou a construção do Palácio da pena, “casa de bonecas” tão complexa como a sua própria história e edificação ao estilo bávaro. Hoje em dia, Ex-líbris da zona.
Sintra, Sintra é bela! …Para o BTT, perfeita!
Incidências:
- Cada vez gosto mais da minha Bicicleta, através dos melhoramentos “pessoais” que lhe tenho aplicado, tais como o amortecedor do espigão de selim, ao qual já me habituei subtraindo dessa forma possíveis futuras mazelas na minha coluna, e as minhas novas câmaras-de-ar com gel anti-furo que aliadas às telas de protecção inverteram a saga de furos constante que teimosamente não me larga. – DIGA!? Oh, oh,oh.
- Há pois é! Ao descer para a barragem da Mula, reservatório de água próximo da estrada para a Malveira da serra, aproveitando a embalagem para fintar os largos pingos de chuva que entretanto tinham começado a cair… PSSSSSS!!! (lá está) O rasgo foi de tal ordem que fiquei com o aro da roda no chão. Apesar do arsenal preventivo, comigo não há hipóteses… LOL – É para furar, e mai nada!
Incidências à parte, foi um belo passeio. Belo e completo! – Não foi Domingos?
Mais uma vez; Saudações Velocipédicas …Ou serão Pedalisticas? Não interessa!
Só saudações… Do Guarda-Rios!

Link do track: http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=290973

5 comentários:

mlucas disse...

Também adoro Sintra. É daqueles sítios que me surpreende sempre, porque me esqueço da sua beleza e das emoções que provoca a quem por lá se passeia.
Lá por onde vocês andaram é um dos poisos mais frequentes onde a Inês acampa com os escuteiros.
É mágico, aquelas rochas respeitosas estranhamente arredondadas espantam-me sempre... Uma boa dica para um passeio, mas deixa lá aquilo secar um bocadinho...

jabas disse...

Sem dúvida que é um local único e misterioso. E o mais curioso é que a grande maioria da fauna existente foi plantada (trazida de outros locais a par de Monsanto, p.e.) contribuindo para o microclima tão particular dessa serra. Realmente Sintra é mesmo a Catedral.

ancião disse...

Caros amigo, saudações cordiais, alentejanas e pedalísticas.
Conto que a minha falta também tenha sido asinalada, mas espero que a mesma conste apenas a azul na caderneta e não a vermelho.
Em minha defesa estão os 61km feitos este fim-de-semana no Alto Alentejo, zona de Alter do Chão, por altura da 1ª Assembleia Geral do meu querido clube Alter Real BTT, com mais 29 companheiros desta andaças.
Muita água, lama e velocidades que passaram muita vez as 3 dezenas de km/h, um bom cabrito assado para cosolar as ostes.
Que caras são essas? Já viram algum veiculo andar se combustivel???
Agora que já sabem o que valorizamos digo-vos também que acabámos por decidir que o nosso Raid de 50km será dia 15 de Março, para o qual aproveito desde já para vos estender o convite. Em breve darei mais pormenores.
Coincidência foi ter estreado também uma evolução na minha bicicleta, semelhante à do João. Um magnifico espigão de selim USE Sumo em carbono (material à séria).
Bom, não me vou alongar mais. Só deixar um grande abraço para todos.
Vivam a dar carga no pedal...

João Galvão e Ricardo Rosa disse...

Ao Ancião digo, que fico muito contente pela aparição como mensageiro, por ter noção que é "cá dos nossos" ...Que inveja (do Cabrito).
Tenho que passar os olhos por esse espigão.
Em relação à voltinha, aguardo ansiosamente.

Jabas may méni!!
Obrigado por tudo, e pela achega da fauna. Ou seria da FLORA. lol
Podias ter feito um up-grade ao post... Estás autorizado!!! lol...lol

jabas disse...

LOL!!!!!! ÉTA CÚ GAJO DIZ COM CADA UMA!!!! Fauna ou Flora é quase a mesma coisa. Desculpem aos mais sensíveis das barbaridades.