sexta-feira, 13 de setembro de 2019

TOUR ALPES FRANCESES - incluí: Croix de Fer, Madeleine, Iseran, Galibier, Izoard, Granon, Lautaret, Alpe D'Huez


Powered by Wikiloc


PERFIL ALTIMÉTRICO:



Passagens em montanhas como: 

Col du Glandom, Col de la Croix de Fer, Col de La Madeleine, Col des Saisies, Col du Maraillet, Cormet de Roselend, Val D'Isere, Col de L'Iseran, Col du Télégraphe, Col du Galibier, Col D'Izoard, Col de Montgenevre, Col du Granon, Col du Lautaret e Alpe D'Huez 


Passagem em localidades como: 

Grenoble, Vizille, Rochetaillée, LAc du Verney, Saint Jean de Mourienne, La Chambre, Saint Françoise de LongChamp, Feissons sur Isére, Alberteville, Queige, Hauteluce, Les Saisies, Beaufort, Bourg Saint Mourice, Val D'Isére, Bonneval sur Arc, Lanslevillard, lanslebourg, Modane, Saint Michel de Maurienne, Valloire, Lautaret, La Salle les Alpes, Briançon, Cervière, Izoard, Montegenevre, Itália - Claviere, Saint Chaffrey, Granon, Villeneuve, La Grave, Le freney D'Oisans, Alpe D'Huez, Le Bourg D'Oisans, Grenoble.




Perfil de algumas das montanhas escaladas:



L'ALPE D'HUEZ




Col de L'ISERAN






Col de la MADELEINE





Col de IZOARD





Col de GRANON 
(para mim, talvez o mais dificil, ombreando com o Alpe D'Huez e Madeleine)



ALGUMAS FOTOGRAFIAS:




Col de Madeleine.




Mont Blanc visto da subida para Col de Saisies




Col de L'Iseran.
O ponto mais alto desta "digressão" pelos Alpes Franceses. 2770 mt.




Também bem dificil pela sua extensão e altura, é o Col de Galibier.




A espectacularidade das descidas. Aqui a do Galibier para Lautaret.





o Izoard bem pela fresquinha.




Para mim desconhecido até então, este Granon é talvez o Col mais dificil de escalar.




A curva 17 da subida ao Alpes D'Huez, onde podemos encontrar a referencia a Agostinho.
"Joachim" como os franceses o escrevem.





Depois de andar à procura do final simbólico deste "Col", e de ter subido bem mais do que seria suposto, lá descobri a zona da "Foto para a posteridade".
Resumidamente, explica-se pela grande expansão que a estância Alpe D'Huez teve nos últimos anos, o que fez com que fossem alcatroados muito mais estradas para além das inicialmente existentes, e estas se expandissem para os arredores da estância e pela montanha acima.
O que dantes seria campo de pasto, agora é turismo.





Uma recordação trazida dessa última montanha tão mítica.



ALGUMAS FOTOS PROFISSIONAIS QUE NOS FAZEM NAS ASCENSÕES:



CROIX DE FER




L'ÍSERAN




Descida do IZOARD




GALIBIER




ALPE D'HUEZ


JG

quinta-feira, 22 de agosto de 2019

PORTO (GAIA) - LISBOA (ORIENTE)


Powered by Wikiloc









ALGUMAS DAS TERRAS E PONTOS DE INTERESSE CONTEMPLADOS 
NESTA VIAGEM:

Vila Nova de Gaia, Carvalhos, Lourosa, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Pinheiro da Bemposta, Branca, Albergaria-a-Velha, Rio Vouga, lamas do Vouga, Trofa, 1ª Saída da EN1/IC2 para Águeda, Rio Águeda, Borralha, Vale do Grou, Aguada de Cima, Almas da Areosa, Entrada novamente na EN1, Avelãs do Caminho, Mogofores, Sernadelo, Mealhada, Carqueijo, Santa Luzia, 2ª saída de EN1/IC2, em direcção a Trouxemil, Fornos, Adémia de Cima, Coimbra, Rio Mondego, Santa Clara, Cruz de Morouços, Antanhol, Regresso à EN1, Cernache, Condeixa, Porto Coelheiro, Pombal, Barracão, 3ª Saída da EN1/IC2 para Leiria, Rio Liz, Brogal, volta para a EN1, Faniqueira, Batalha, Mosteiro da Batalha, São Jorge, Centro interpretativo da Batalha de Aljubarrota, Tremoceira, Casal Boieiro, Freires, Venda das Raparigas, 4ª saída da EN1/IC2 para Rio Maior, Alto da Serra, Rio Maior; Asseiceira, Quebradas, São Salvador, Espinheira, Novamente entrada na IC2 (mas pode-se circular), Ota, Circular de Alenquer, Carregado, Castanheira do Ribatejo, Vila Franca de Xira, Alhandra, Alverca, Forte da Casa, Póvoa de Santa Iria, São João da Talha, Bobadela, Rio Trancão, Sacavém, Lisboa (Gare do Oriente).




ALGUMAS FOTOGRAFIAS:





Ainda em Vila Nova de Gaia, supostamente no primeiro quilómetro da Estrada Nacional 1 
(EN 1), encontramos um marco que assinala o km 300, de uma estrada que já teve 301 km´s. 
- Só que não nos podemos deixar enganar. As constantes alterações e obras, em que muitas vezes a EN 1 é IC 2, ou outros itinerários, faz com que quando finalmente conseguimos chegar a Lisboa, via Sacavém, já temos mais de 310 km´s nas pernas. 
Isto se não houver nenhum engano na rota, ou algo que nos obrigue a fazer desvios, como obras por exemplo.







Esta fotografia, na zona de Águeda, já por mim passada noutras voltas, acaba por ser sempre obrigatória. Além da escultura em si , simboliza que estamos a passar em terra de muitos ciclistas, e que já foi de grande desenvolvimento industrial, no que à produção de bikes diz respeito.







À Chegada a Sacavém, zona de Bobadela, e quando estamos a escassos quilómetros da Gare do Oriente, somos atravessados por uma sensação de missão cumprida. 
Apesar do cansaço trazido de quase doze horas de pedaladas e do acumulado quilométrico, o pior realmente está a passar. 
- Digo isto porque uma viagem destas, não se faz só de momentos aprazíveis. Também é composta de alguma paciência, resistência, e, quer queiramos ou não, alguma sorte.
- Com furos, avarias, ou condições climatéricas muito adversas, a conclusão desta viagem poderá ficar em perigo.


Para evitar enganos e desvios de rota, que podem acarretar ou mesmo pôr em causa esta "empreitada", aconselho que sigam um track GPS fidedigno (o que tem o link em cima, é) e que tenham em conta as zonas de impossibilidade de circulação na IC 2.

Basicamente os locais a ter em atenção são (...e vindo de Norte), antes de Águeda, de Coimbra (muitos quilómetros fora da estrada, a acarretar muita atenção), antes de Leiria, de Rio Maior, e a passagem antes e após a asseiceira e até à chegada ao Carregado. 
A partir daí é seguir a EN 10 até Sacavém.



Boas Pedaladas

João Galvão



quarta-feira, 21 de agosto de 2019

...Isto às vezes custa mais escrever, do que fazer...MIL a MIL...hahaha



70 MIL

Mais uma volta até ao ponto mais alto do distrito de Lisboa...


...E arranjar fotografias destas voltas...
Aqui está uma da volta em causa. bicicleta encostada no alto da serra , bicicleta no chão pela certa. 
Tal é o vento.



71 MIL

...Mais uma volta domingueira com a malta de Sacavém.


Aqui está uma volta exemplo das muitas que fazemos por estas bandas:
- Sacavém, Sobral, Alverca...etc...


72 MIL

...Uma volta das maiores que faço quando tenho tempo, e dá para ir até à Serra de Sintra.



Perto de Queluz de Baixo.... com muita coisa desta já visitada...



73 MIL

Como não poderia deixar de ser, estes quilómetros foram passados, como muitos e muitos outros, pela marginal (EN 6), que, como o Parque Florestal de Monsanto, são os meus locais de treino privilegiados...





74 MIL

Não muito longe temos Monsanto...



...Onde se treina com alguma frequência... às vezes, mesmo a chover.


---Claro que esta saga vai continuando... Neste momento, e quando nos estamos a aproximar dos cem mil, é o que há para postar....heheheh... Brevemente trarei mais voltas por aqui...

Boas Pedaladas...



sábado, 17 de agosto de 2019

Portimão (Boa Vista) - Sol Tróia


Powered by Wikiloc





 Algumas terras e pontos de interesse passados

 nesta viagem:



Algumas dos números e informações desta viagem:




Algumas (poucas) fotografias desta viagem:



Ao mesmo tempo e em sentido inverso, vinha o famoso e muito concorrido Tróia - Sagres.
Aqui, passa por mim um pelotão de muitas dezenas, mas ao todo foram alguns milhares.





...Já durante o regresso, no Ferry desde Sol Tróia até Setúbal.






um print sreen da volta efectuado no final da mesma, que curiosamente apresenta alguns números diferentes dos referidos anteriormente. 
Não sei a razão, mas calculo que seja uma redefinição da gravação GPS, feita pelo sistema à-posteriorí.



BOAS VOLTAS