sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Mais uma Ciclóvia em construção.

...E esta vai dar muito jeito para quem tem, ou para quem quer, deslocar-se de Bicicleta por Lisboa.
Vai começar na Avenida Gulbenkian e estende-se até ao Arco Cego, passando pela Embaixada de Espanha e junto ao muro lateral da Fundação C. Gulbenkian, na Av. A.A.A. Interioriza pelas avenidas novas, por sítios que ainda não descobri, mas que, com o avançar das obras virei por aqui anunciar.

Na António Augusto de Aguiar, pelo passeio contíguo ao muro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Na Av. Calouste Gulbenkian, mesmo antes de chegar à Praça de Espanha. Perto do Teatro Aberto.

Repórter Astigmático

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Será que é p'ró ano?...(...Maratona de Portalegre)

Conforme anunciado decorreu no passado dia 24.Out.2010 a apresentação do PortalegreBTT SportZone 2010.

De realçar as novidades apresentadas pelos Ases do Pedal:

Inicio das Inscrições ás 00H00 de 01.Jan.2010, limitadas a 3500 atletas, devendo ser regularizadas até ás 24H00 do dia em que a Pré-Inscrição tenha sido efectuada.
Serão disponibilizadas 2000 inscrições no PortalegreBTT SportZone e 1500 na Meia Maratona, os dorsais terão cores diferentes, e os atletas terão que cumprir a distância para a qual se inscreveram.
Por questões de espaço a META é transferida para o "Jardim da Corredoura", também localizado no centro da cidade de Portalegre.
Implantação do serviço de SMS, com envio dos resultados obtidos para o telemóvel dos atletas logo que concluam o PortalegreBTT SportZone. Os atletas devem procurar manter os dados actualizados na página dos Ases do Pedal.
Apresentação das classificações na página dos Ases do Pedal em tempo real.
Será que é desta? Há muitos anos que estou para participar... Normalmente calha na semana antes de Idanha. Pode ser que vá a uma... ou à outra... Ou talvez às duas!!!... logo se vê!
Quem quiser saber mais. LINK do site doa ASES DO PEDAL:

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Alguém quer uma destas?...


..É que vão a leilão!
Corram, porque tal licitação será já no Domingo, dia 1, em Nova Iorque, no Sotheby's.
São sete as Bicicletas que Lance Armstrong vai leiloar para fazer reverter os dividendos para a Fundação Livestrong.
Utilizou-as na Volta à França, durante a edição deste ano, em que o americano terminou em terceiro, como estamos todos lembrados.
Esta preciosidade que aqui está ilustrada foi pintada pelo japonês Yoshitomo Nara e deve ter uma base de licitação... Baixinha...lol

Monsanto-Parque Eduardo VII (ligação concluida)

Mais uma vez ao sprint, ficou concluída a Ciclóvia de ligação entre o Parque Florestal de Monsanto e o Parque Eduardo VII, no que é uma das "vias" mais úteis das que se têm construído. Aliás, ainda há muitas em construção, algumas já reportei por aqui, de outras falarei brevemente.
Esta de que vos falo hoje, foi, e é, uma das "meninas bonitas" da edilidade, não só por ligar dois dos mais importantes espaços verdes desta bela cidade, como por ter sido uma das mais publicitadas e difíceis obras, quer pelo traçado, quer pelas Infra-estruturas. -É um importante eixo de circulação da cidade de Lisboa.

Após a ponte sobre a Av. Gulbenkian, a Ciclóvia, que ainda por cima é mista, pois nela podem circular pessoas e Bicicletas, estando para isso devidamente marcada e assinalada, curva à esquerda para passar entre um dos edifícios sede dos bancos e o Polo da Universidade nova do Bairro Azul.

A referida ponte que possibilita a passagem entre as duas faces da Av., entre o jardim da Polícia Municipal e o Bairro azul, agora acessível. Como a foto demonstra, a passagem está devidamente assinalada e dividida entre os utilizadores.

Por baixo da ponte, o habitual trânsito. Inferno diário para os utilizadores da Av. em causa.




Ponto de intercepção com a Universidade.


Após esta, no traçado que nos leva do Bairro Azul para o edifício do tribunal, na Av. marquês de Fronteira.


Eixo de passagem paralelo ao Tribunal. Toda a vegetação envolvente foi, ou está a ser melhorada. As pequenas elevações foram relvadas, no que me parece, um dos melhores conjuntos de obra das ciclóvias de Lisboa.


Eis-nos na Av. Marquês de Fronteira, com o Parque Eduardo VII mesmo em frente.



2,5 km's muito importantes

Repórter Astigmático

terça-feira, 27 de outubro de 2009

STOP?!? – Não haverá outro molde?

Devidamente avisado pelo seu amigo Zébroclinas, o Repórter astigmático pôs-se em campo para reportar esta ocorrência.
Então o caso é o seguinte, depois de tantas obras em prol das Ciclóvias de Lisboa, a grande maioria bem louvável, começaram-nos a surgir algumas dúvidas.
Agora mais a frio, estamos aos poucos a fazer uma reinserção nas ditas Ciclóvias, que fomos descrevendo, para reanalisar tais projectos, agora sim, em fase final de conclusão.
Neste caso que vos transmito hoje, tal como em alguns aos quais não dei muita importância, o que se nota é alguma incoerência nas marcas e pinturas, assim como em alguns dos percursos.
Não há dúvidas do que o está feito, e o que ainda virá a fazer-se é muitíssimo positivo. Mas há situações pouco claras, e essas variam consoante as empreitadas.
Na pista da Quinta da Granja, entre o centro comercial Fonte Nova e o Colombo, surgiu-nos uma situação (devidamente observada pelo Ricardo), que nos deixou um pouco perplexos. O facto de a Ciclóvia cruzar constantemente com garagens, incentivou os “construtores” para que a cada 15 mt’s, incrementassem um enorme STOP no chão, com o intuito de os parar sempre que com estas se cruzem.
Ora como qualquer encartado sabe, embora alguns caminhos particulares possam ter prioridade, as garagens e os seus utilizadores jamais o terão, ao saírem com os veículos para a rua. LINK SOBRE O TEMA.
Assim sendo, a única explicação para tal pintura no chão será a falta de outro molde. Como não deviam ter um modelo de pintura que dissesse: - ATENÇÃO ou CUIDADO, pintou-se um STOP. - Como comentário extra, devem ter dito: - Os Ciclistas vão compreender!
O pior é que há muitas situações em que o stop, é, não só adequado como imprescindível. E aí o excesso de uso da palavra em situações anteriores de forma escusada e desadequada, cria por habituação, um desrespeito pelo sinal de trânsito, onde ele faz realmente falta, ou deveria fazer. Mais uma razão para termos mil e um cuidados ao circularmos com as nossas Bicicletas, mesmo dentro de uma ciclóvia.
- Depressa e bem, não há quem! Já diz o ditado.
Todas estas obras, apesar da rapidez com que foram executadas, ainda têm algumas lacunas que tentaremos expor por aqui à medida que as formos descortinando.

Com o mudar da hora, agora, sempre que se fizer uma volta no pós-laboral, está-se numa “volta nocturna”. Daí a qualidade das fotos.

Por aqui acho que dá para perceber questão que acabei de levantar. Antes do cruzamento com cada garagem há uma obrigação destas.


Uma para cada lado. Nem que seja de 15 em 15 metros.


Aqui fica uma ideia do que realmente poderia estar pintado por aquelas bandas. Um aviso para a chamada de atenção, que pusesse os ciclistas de aviso acerca da perigoside das saídas das garagens. Este exemplo, está na ciclóvia do Tejo, entre o cais do Sodré e Belém.


Por outro lado, estas marcas aqui (acho que a empreitada foi a mesma), embora exaustivas estão bem posicionadas, já que antecedem sempre o cruzamento com estradas de grande movimento.

Boas Pedaladas… Nas Ciclóvias, ou fora delas.
São os desejos do Repórter Astigmático.





segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mais um Transporte...

...E aí está um AFRO-RIQUECHÓ.





sábado, 24 de outubro de 2009

Turismo ciclável em Portugal

Para marcar o arranque do projecto «Cicloria», em Portugal, diferentes autarquias, em parceria com a Universidade de Aveiro (UA), decidiram organizar a conferência sobre «O Lazer e o Turismo Ciclável em Portugal», no próximo dia 6 de Novembro, em Aveiro.

O conceito de turismo ciclável tem vindo a desenvolver-se de uma forma organizada e sistemática em vários países (designadamente Austrália, Nova Zelândia, Suíça, Reino Unido e Espanha) com impactos significativos do ponto de vista económico, social e ambiental. Trata-se de uma actividade que mobiliza visitantes e turistas que se deslocam de bicicleta, em férias ou em lazer, planeada de forma independente ou fazendo parte de viagens organizadas e que pode incluir o uso de outros serviços de transporte e um tipo de alojamento formal ou informal. Um Estudo recente da Comissão Europeia sobre o impacto económico do turismo ciclável a nível europeu (The European Cycle Route Network Eurovelo – Challenges and Opportunities for Sustainable Tourism, 2009), apresentado em Bruxelas, conclui que atinge, actualmente, 2.8 mil milhões de viagens por ano, 26 milhões de viagens de turismo e representa um valor de 54 mil milhões de euros por ano.
O mesmo estudo estima que o valor da Rede Europeia de Ciclovias - EuroVelo (constituída por 12 eixos transcontinentais e totalizando 66 mil quilómetros, 75 por cento já construídos - atinja já 12.5 milhões de viajantes, com um impacto económico de 4.4 mil milhões de euros. A EuroVelo foi pensada com o objectivo de criar uma rede de ciclovias de elevada qualidade ligando todos os países europeus, podendo ser fruída por utilizadores de grandes distâncias ou diários. Para fazer parte desta rede é fundamental que sejam seguras e contínuas, o ambiente rural envolvente seja agradável e amigável do utilizador, exista uma clara e precisa sinalização, alojamento de qualidade e hospitalidade nas rotas cicláveis, serviços de apoio e adequada informação.


Projecto Cicloria

O governo português aprovou, recentemente, o projecto «Cicloria», com um investimento de um milhão de euros numa iniciativa promovida pelas autarquias da Murtosa, Ovar e Estarreja e pela UA. Desenvolvido no âmbito de uma candidatura ao POVT - Eixo IX – Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano - Acessibilidade e Mobilidade Urbana, a grande motivação é o lazer e turismo na região da Ria de Aveiro.
Pretende-se, com este projecto, criar uma rede de ciclovias na envolvente à Ria de Aveiro apoiada num conjunto de acções de animação dos percursos cicláveis, através da organização, disponibilização e valorização do conhecimento sobre o património cultural, construído e natural da região que os agentes locais e os investigadores da Universidade de Aveiro dispõem. Várias empresas do sector serão convidadas a participar no fornecimento das bicicletas e equipamentos de apoio e poderão até surgir no âmbito de iniciativas de empreendedorismo para prestar outros serviços (oficinas, guias de natureza e animação cultural). A integração da temática da mobilidade nos curricula das escolas, irá contribuir para estimular os alunos a irem de bicicleta para a escola e a descoberta ciclável do meio onde vivem. Segundo a organização, “existe a convicção que este novo enfoque poderá, em larga escala, beneficiar a economia, através da criação de emprego e o aumento das actividades ligadas ao turismo, e o ambiente, através da criação de actividades “low carbon” – uma aposta chave face à crise actual”.


Artigo transcrito do site :

http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=36110&op=all

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

As Bicicletas vão regressar ao paredão Estoril/Cascais…

…Embora com horários específicos e devidamente controlados.


Depois de terem ocorrido em 2007, alguns acidentes (atropelamentos envolvendo as Bicicletas e os peões), no passeio marítimo de Estoril, a circulação dos velocípedes foi proibida. Será, depois da aprovação da autarquia em assembleia municipal, novamente permitida a movimentação das Bicicletas neste percurso entre o Estoril e Cascais.

Com o fim de evitar novos problemas entre a grande afluência de peões e Bicicletas, foi implementado um regime sazonal que permite, durante a época de inverno (2 de Novembro a 30 de Março) a circulação livre durante as 24 horas do dia, durante o verão, definido de 31 de Março a 1 de Novembro, a circulação é possível das 18 h às 10 horas. No fundo é um mal menor.

Está prevista também a criação de um corredor próprio para as Bicicletas de forma a separá-las dos peões, no que será mais uma Ciclóvia para o NOSSO USO.


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Caminho Do Norte a Santiago 08...

...Finalmente o Vídeo.




http://www.youtube.com/watch?v=Ilm4BHa03a4


Track do Caminho do Norte :



Link do traçado no Wikiloc

Neste post ainda ficam reunidos os LINKS para o que tem a haver com o Caminho do Norte a Santiago de Compostela em Agosto de 2008 :

Fotos no PICASA (máquina do Galvão) :
http://picasaweb.google.com/bikeperegrinos/CamNorteMQGalvOABicicletaOUnicoVeiculoDeTracOAnimalCujaBestaVaiSentada#

Fotos no PICASA (máquinas da Fernanda e do Ricardo) :
http://picasaweb.google.com/bikeperegrinos/CaminhoDoNorteParaSantiagoMQDaNandaERR#


RELATO NO PROJECTO BTT. Desde 19 de Abril de 2010


RELATO NO FÓRUMBTT do RICARDO


Mais vale tarde que nunca!! He, He, He.
Para breve... Espera-se a edição do vídeo da última aventura destes "malucos" a caminho de Santiago. - A VIA DE LA PLATA.

GR

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Mapa das CICLÓVIAS de LISBOA (fonte CML)


última actualização neste Blog :


Texto original deste post em 21 de Out de 2009 :

Acabei de receber da parte do departamento específico da C.M.L., o mapa actualizado das ciclóvias de Lisboa. Ao analisar tal documento saltaram-me à vista dois factos. Primeiro, as vias que andei a estudar e das quais expus aqui um mapa (segunda foto), não está nem de perto nem de longe, fora da realidade. Pensei que haveria muito mais “Pistas cicláveis”, mas na verdade as que estão feitas, são nada mais, que as que tenho analisado por aqui. Segundo, e esse é um facto muito positivo, estão em fase de construção e/ou estudo alguns quilómetros mais para a cidade, no que se tornará uma rede de caminhos para Bicicletas já bastante apetecível.

Brevemente irei a terreno para poder comprovar essas tais obras, de forma a poder-vos dar por aqui notícias de tais “empreendimentos”.

Neste momento, e segundo fontes da C.M.L. já existem 23 km’s inseridos no Parque Florestal de Monsanto, assinaladas no primeiro mapa com linhas de cor branca e no terceiro, que embora antigo, continua a ser o melhor mapa das ciclóvias do PFM, a tracejado.

No final das construções a C.M.L. pensa ficar com mais 44 km’s de ciclóvias a que podemos acrescentar os 23 km’s já referidos acerca a de Monsanto.




Guarda-Rios e Repórter Astigmático

O Caminho Português...

... De uns Amigos.

Link para o Blog onde está tudo muito bem ilustrado e contado.

http://www.passatempobiketeam.blogspot.com/

Parabéns a estes ilustres Peregrinos, por mais este feito.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Mais umas para o MUSEU

Olhem quem é que eu encontrei como nosso colega ciclista... He...He....He...


...Observem como eram os primeiros Tandems...

... E a indumentária...




segunda-feira, 19 de outubro de 2009

BIKEPEDIA… Todas as Bicicletas…

…Que queremos encontrar na net, e às vezes andamos à “nora”.
Aqui estão todas, ou quase todas. Pelo menos as que eu procurei, encontrei.
Pode-se procurar pelo ano ou pelo modelo. Tem uma busca bastante facilitada.

http://www.bikepedia.com/QuickBike/Default.aspx

MUITO ÚTIL!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Vídeo(s) muito interessante(s) sobre o AQUEDUTO das Águas Livres

O Aqueduto das águas livres de Lisboa e todos os tracks que marcámos não estão esquecidos. Estão apenas adiados. Para já, estão no mesmo patamar que uma data de outras iniciativas e projectos que temos por realizar, e que a seu tempo iremos retomar.
Nesta fase, e para que a memória perdure e... Não só , mas também... Com fins lúdico/informativos, aqui vos mando um vídeo muito interessante e instrutivo acerca daquele Monumento Nacional.


Vejam este vídeo do canal História no You tube :



Link para o you tube : http://www.youtube.com/watch?v=fr2Et9XIvkI

Uma outra curiosidade que mostro por aqui:

Sabiam que há zonas em que ainda corre água dentro do Aqueduto, e que em muitas delas, essa água escorre pelas paredes dos arcos de sustentação do Aqueduto e/ou pinga a céu aberto?

videoVídeo recolhido pelo RA na Falagueira em Julho de 2009

Canal História e Repórter Astigmático

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

ECOPISTA do Sizandro (Sta. Cruz - Torres Vedras)

Em cerca de 34 km's esta Ecopista está muito bem conservada, aparentemente por ser recente, mas também porque nos pareceu ter alguma utilização. A ligação entre Torres Vedras e as praias de Sta. Cruz na Foz do Rio Sizandro está muito bem pensada. Utiliza na sua maioria amplos estradões bem compactados. Como utiliza as margens do rio Sizandro e as suas veigas permite que o desnível seja pouco acentuado. Para os comuns Cicloturistas de fim de semana não apresenta grandes dificuldades. Eu fiquei a conhece-la através do Arruda-Atlântico-Arruda, onde o regresso aproveita esta Ecovia para nos fazer chegar a Torres.
LINKS PARA MAIS INFORMAÇÃO SOBRE ESTA ECOPISTA:





LINK do TRACK no Wikiloc : http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=568631



Repórter Astigmático com a ajuda do Zéi

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

CICLOVIA DE STA. CRUZ (oeste)

Foi através do passeio BTT que fizemos neste Domingo, que tomei consciência da existência de mais algumas infra-estruturas para o uso das Bicicletas na zona Oeste.

Esta de que vos falo por este post, tem em determinadas secções o piso demarcado e está devidamente isolado da estrada. O maior privilégio de tal Ciclóvia, além de nos fazer transportar ao longo das praias, é sem dúvida, o poder circular com o Mar sempre presente.

Tal Ciclóvia já não é nova, longe disso, e tenho inclusivamente a ideia de já por lá ter passado. Só que nessa altura não lhe dei a importância que merece.





Apesar de um pouco gasto, o piso está perceptível e bem demarcado da estrada. Pelo menos neste troço.

A vista sobre o mar está presente em grande parte desta Ciclóvia, tornando-a num passeio bastante atraente.


É mais uma alternativa para a nossa diversão.

Repórter Astigmático em passeio do Guarda Rios


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

ARRUDA - ATLÂNTICO - ARRUDA em BTT


Mais uma excelente marcação de trilhos por parte das “gentes” de Arruda, arranjando forma de atravessar as cordilheiras até ao mar, mais propriamente ao atlântico. Mais que isso conseguiram integrar as fabulosas ecovias de Sta. Cruz para Torres Vedras no regresso, passando pelo meio, pela ciclóvia de Sta. Cruz.
É uma volta com mais de 100 KM’s para fazer num dia, e sem compromissos temporais. Mais de 1600 mt de acumulado, dos quais, 90% se encontram nos primeiros 45 km’s. Depois é quase sempre a descer e a rolar, até á subida final para a Arruda.
Grandes pormenores compõem este caminho, com subidas e descidas bastante técnicas, todo o trajecto ciclável, belos e longos estradões ou singles ao longo do rio. Esplendorosa é também a vista do alto das falésias das praias de Sta. Cruz, de onde podemos contemplar o mar e os surfistas.
Infelizmente desta vez não me foi possível completar o passeio planeado, já que, devido a um queda na descida para Sta. Cruz. Acabei por ficar bastante condicionado para progredir com o à-vontade que este track merece. Limitado, lá fui avançando como podia, fazendo umas pausas de lés a lés para descansar e repor mini’s. Acabei por conseguir avançar até Dois Portos, onde, e após reunião consensual decidimos que o Zé avançaria pelos cerca de dez quilómetros que ainda faltavam, a solo, ficando com a missão de terminar o trilho, ir buscar o carro, e vir levantar o “lesionado”. Foi assim que acabou esta agradável aventura, que apesar do incidente, foi muito agradável e serviu para matar saudades destas longas jornadas de BTT. Um dia ainda a voltaremos a fazer.


Nas redondezas de Arruda dos Vinhos e por longos e belos quilómetros a paisagem dominante são as vinhas, elemento tão característico por estas bandas do Oeste.


Mais e mais vinha, que se estende por longos vales entre a paisagem mais usual destas paragens. - Os montes!


Entre singles de montanha e descidas mais ou menos técnicas também se encontram amplos estradões. Esta é aliás, uma das dominantes no caminho de regresso, quando andamos por mais de vinte quilómetros, por cima da Ecovia, desde Sta. cruz, até Torres Vedras.


DAH!


Espectacular pique para a encosta do lado de Torres Vedras. Por aqui já se pisa o característico solo da zona. Essencialmente composto por Eucaliptal.


Mais uma descida técnica, desta vez bem captada pelo fotografo.


O cruzamento com motas de cross, minimotas e moto4 foi uma constante. Belos espectáculos que alguns destes destemidos nos iam proporcionando.


Está aqui alguma coisa trocada... Será uma montagem do Fotoshop? - Esta bici não é deste sujeito! Até acho que não lhe fica nada bem. - Nâo sei, deve ser da posição do selim!?!?!


Olha! E este também não está com a Bici dele... bicis panisgas... com suspensão total...lol
Vamos mas é repor essas bicicletas no seu verdadeiro place.


Este rio estava completamente coberto por uma camada verde de algum elemento estranho, que lhe dava este aspecto bastante curioso.


Além disso, o mesmo rebelde rio decidiu sair do seu leito habitual e vir ocupar por completo o caminho. Por momentos não sabíamos o que fazer, mas depois de uma análise fria e maturada...lol... e da ajuda de um cidadão simpático que na outra margem da água nos ia dando dicas do que se passaria mais para a frente, decidimos arriscar...


...Quem não arrisca, não petisca. É que por esta altura já começava a apertar a fome. Antes de irmos comer ainda tomámos uma "banhoca".


Aspecto da coisa depois de a atravessarmos. Dificuldade superada!


Enquanto eu tentava recuperar forças e alguma respiração, o comp foi dar uma vista de olhos aos surfistas. Elementos habitués destas paragens por terras de Sta. Cruz. Diga-se que a vista por aqui é deslumbrante.


Por cima das falésias, sempre junto à costa e muito perto da Ciclóvia que liga as praias desta zona.


Já em Torres Vedras, demos de caras com este autêntico guru das Bicicletas. - O que dizer da indumentária? - Hum? - Nem o Agostinho quando alinhava pela Raposeira.


Inicio de single track fabuloso, sempre coladinho ao ribeiro, que se estende por uns longos metros e tem inicio mesmo junto ao aqueduto.

ESPECTÁCULO!

Trilho recomendado numa jornada a repetir!

GR e Zéi


Arruda-Atlântico Números e Track



LINK para o TRACK no Wikiloc : http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=566001

Números desta Jornada:

3 mt Altitude mínima
7h 22 m Tempo gasto a andar
9h 05m Tempo de duração da jornada
14,5 Km/h Velocidade média geral
53 Km/h Velocidade Máx atingida
98 km’s percorridos por mim
110 Km’s no total (feitos pelo Zé)
132 PPM Frequência cardíaca média
178 PPM Frequência cardíaca Max
312 mt Altitude Max atingida
1600 mt Acumulado de subida
4433 Kcal Calorias gastas

GR e Zéi

LX - Setúbal - LX (números)

0 mt Altitude mínima
4h 30 m Tempo gasto a andar
23,7 Km/h Velocidade média geral
63 Km/h Velocidade Máx atingida
103 km’s percorridos
112 Km’s no total (com os Rios)
124 PPM Frequência cardíaca média
165 mt Altitude Max atingida
170 PPM Frequência cardíaca Max
780 mt Acumulado de subida
2580 Kcal Calorias gastas

domingo, 11 de outubro de 2009

Entre Estuários (por estrada)



LINK DO TRACK : http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=564485

Poder-lhe-ia chamar entre rios ou entre barcos, ou mesmo de entre outras coisas… O que quisesse. Mas não, achei… Aliás, lembrei-me, que entre o Tejo e o Sado, poderia apelidar esta volta de: - Entre Estuários.
Tal volta de estrada, que serviu de treino com vista à grande volta de BTT que vou fazer amanhã mais o meu Amigo Zéi, com quem já não ando há muito, teve o condão de me proporcionar momentos bem agradáveis.
Nos cerca de 100 km que percorri este sábado passei por dois eixos de Lisboa, para baixo fiz Monsanto /Belém e para cima Terreiro da paço /Benfica, andei duas vezes de barco: - A saber, Cais do Sodré - Cacilhas, no Cacilheiro/Ferry e Montijo (Seixalinho) - Cais do Sodré em barco rápido. Pelo meio, e aqui chegamos à intenção desta volta/treino passei por algumas terras da margem sul que são servidas pela N10: - Cova da Piedade, Corroios, Seixal, Coina, Quinta do conde, Brejos, Vila Nogueira e Vila Fresca… E mais que fossem, as de Azeitão. Até ao Ferry do Sado para Tróia.
De regresso, tomei por referência a N252, direito a Palmela, Pinhal Novo e Montijo. Ao chegar aos barcos, por volta das 14,15 h, constatei que só tinha meio de transporte às 15,30 h.
- Ora nem mais! – Já que aqui estou, vou até ao Samouco visitar uns Amigos e dar os parabéns a uma bebé que acabou de fazer um aninho à muito pouco tempo. Acabei por encontrar muito mais Amigos do que estava à espera, porque acertei em cheio na festa da bebé. Apesar do “traje” pouco condizente com a cerimónia, acabou por ser engraçado.
Mais uma vez, parabéns M&M’s

Saída do Cais do Sodré em direcção a Cacilhas.

Lisboa para trás. Uma das imagens mais belas, mas sempre surpreendente.

Setúbal. Entrada para o Porto de ferry's com destino a Tróia.


Porto de Seixalinho (Montijo).


A Bicicleta e o interior do barco.


A eterna ponte 25 de Abril. Vista do Barco.

GR (“Tio” Nés)