sexta-feira, 7 de maio de 2010

Novos troços das Ciclovias de Lisboa (3.0; 3.1 e 3,2) "para poupar nos post"



última actualização neste Blog :


Texto original deste post em 07 de Maio de 2010 :

- Hoje (ontem) valeu a pena!
Na tentativa de me actualizar em relação às Ciclovias que se estão a fazer em Lisboa, fiz-me ao caminho, para reportar a ligação da Cidade Universitária ao Campo Grande e daí pela Av do Brasil fora, até à Rotunda do aeroporto. Estes eram trajectos dos quais eu já tinha conhecimento, quer visual, quer mesmo físico, por já ter transitado por cima de pequenos pedaços ainda em obras.
Qual não foi a minha surpresa, ao perceber que depois de Chelas, a Ciclovia já está totalmente concluída até à Gare do Oriente, passando pelo Parque dos Olivais.
É por ser uma Ciclovia que ainda não tem todas as empreitadas concluídas que intitulei este post de "Novos troços das Ciclovias de Lisboa (3.0; 3.1; e 3.2)"
Assim, posso dividir tal Ciclovia em três partes, em que a primeira e terceira (3.0 e 3.2), correspondem ao que já está feiro (bem feito, por sinal), e o pedaço do meio (3.1) ao que está por fazer.
No total, depois de tudo concluído e ligado, tal hipótese de circulação ficará com este aspecto:


Por agora, podemos ir sem interrupções desde as traseiras da faculdade de direito até à Avenida Gago Coutinho, junto á rotunda do aeroporto, e de Chelas (recinto da feira do relógio) até à Gare do Oriente.
Vejamos:

Perto da Torre do Tombo (Alameda da Cidade Universitária) e da faculdade, onde se dá início a esta grande Ciclovia. (3.0)


Já na Avenida do Brasil, em que uma longa recta de tapete de asfalto dá continuidade aos cerca de 7 km que este trajecto terá no seu final. (3.0)


Aqui, já depois do Hospital Júlio de Matos ainda se ultimam alguns pormenores. (3.0)


A subida da Rua Quinta da Graça é o troço que está em fase de construção. Segundo os trabalhadores dessa obra, tais trabalhos não se deverão estender por muito mais do que um mês, permitindo assim que no final de tal empreitada se possa fazer este traçado de forma segura e sem interrupções. (3.1)


De novo nos "trilhos" da Ciclovia, a parte 3.2, que faz a ligação entre o alto de Chelas e a Gare do Oriente é sem dúvida das mais interessantes de todas as Ciclovias de Lisboa. Apesar de ser algo sinuosa (por mim, não desgosto), faz uma abordagem ao Parque Vale do Silêncio, cruzando-o totalmente até chegar ao Hospital do SAMS. (3.2)


Parte final do Parque, onde foi construída uma linha de progressão só para as bicicletas, paralelamente à dos peões, não havendo qualquer perigo para uns e outros. (3.2)


Já em direcção à Gare do Oriente em plena Expo. Com um dos prédios altos em fundo.


As Ciclovias de Lisboa vão evoluindo. Neste momento já existem muitas alternativas de circulação. Estas que aqui estão desenhadas na foto do Google Earth, representam as que por mim foram identificadas e às quais fiz um levantamento.
Acredito que já se possa circular noutras vertentes. Espero poder fazer esse apanhado brevemente, e vir noticiá-lo por aqui.
Para se ter um exemplo, neste momento as Ciclovias de Lisboa já superam os trinta quilómetros, e já é possível circular de forma continua em pelo menos 18.
Já se pode ir desde a Gare do Oriente até ao Parque Eduardo VII, passando por exemplo pelo Parque Florestal de Monsanto.
Boas pedaladas!
RA

2 comentários:

Francisco Costa disse...

Obrigado pela notícia.
Neste momento não estou em Lisboa, mas dentro de poucos dias estarei já a testar essa ciclovia, em especial no troço Rotunda-Av. do Brasil-Campo Grande, até porque moro próximo.
Francisco

Santos disse...

Foi pena só ter descoberto este blog agora! Gostei do que vi e li! Vou-me entreter com o resto!
Abraço e continuação de bom trabalho!


simplyride.blogspot.com
Pedro Santos